Início Arquivo

Uma questão de joelhos

Numa altura em que os fatos de calções são apontados como um look essencial para este Verão, Robert Colvile, do jornal britânico Telegraph, decidiu arriscar o novo visual. Tens a certeza que tens joelhos para isto?» perguntou uma das colegas. Esta nova abordagem de Robert Colvile à roupa de trabalho começou depois de ter tido conhecimento que o tradicional fato de negócios estÁ nas últimas. Apenas 24% dos empregados de escritório são agora “obrigados” a usar um, em comparação com os 37% de hÁ quatro anos atrÁs. Se a norma continuar a minorar, o anterior código de vestuÁrio obrigatório pode morrer em 10 anos, jÁ que os corretores da bolsa e agente imobiliÁrios trocaram o fato de duas peças por calças de sarja e sapatos de cordões. Mas uma interpretação alternativa do vestuÁrio de escritório estÁ actualmente a ganhar importância: o fato de calções. Os calções estão a tornar-se numa opção natural de Verão para os que querem vestir bem na cidade», afirma um dos últimos números da revista masculina GQ – que descreve os novos fatos de calções como uma afirmação de moda ousada que estÁ completamente ligada a 2008». Os compradores da high street parecem concordar: após uma estreia de sucesso no ano passado, as combinações de casaco e calções da Topman jÁ estão a “voar” das prateleiras. Acho que é um óptimo visual», considera Charlie Porter, editor associado da GQ. No entanto, os homens geralmente usam fatos por defeito, sem pensarem no seu guarda-roupa. Por isso, se se fizer alguma coisa aos fatos, estÁ-se a mudar algo de sagrado. Combinar isso com calções, que muitos homens jÁ consideram problemÁticos, vai multiplicar as dificuldades». Mas os entendidos discordam. A roupa formal tem uma grande influência nas passerelles hoje em dia, e estÁ a chegar às ruas», explica Marcus Rigg, designer de vestuÁrio formal na Topman. Os homens estão a arranjar-se mais e estão a ter mais cuidado com o que usam. Em termos de calções, hÁ mais exposição nos meios de comunicação social, por isso estão a tornar-se muito mais aceitÁveis». Mas não entre os colegas de Colvile. Quando chegou aos escritórios do Telegraph num fato de calções de 135 libras, num padrão discreto da Topman, houve uma reacção previsível: posso ser um trend-setter, mas sou também um forte candidato a um tributo à série Just William», refere Colvile. E nas ruas a história não foi muito diferentes. Muitos dos tradicionalmente discretos transeuntes britânicos não resistiram a ficar especados a olhar e a soltar uns “valha-nos Deus” à passagem de um homem num fato de calções. Com efeito, parece que nem todos estão preparados para usar um fato destes. O fato de calções, afinal de contas, não é para “quadrados”», considera Colvile. A mesma interpretação surge por parte de Porter. é a Topman que os estÁ a vender, não a Austin Reed», realça. HÁ muita gente nova que não tem preconceitos sobre roupa». O fato de calções levanta ainda uma questão difícil para a maior parte dos homens: a questão das meias. Devem ser até ao joelho, puxadas para cima, ou simplesmente não devem existir?», questiona-se o jornalista do Telegraph. E uma ainda mais difícil de suportar: a crítica de muitas mulheres. Algumas das colegas de Colvile consideram que os homens nunca ficaram bem de calções. São um pouco…desafortunados», com excepção de alguns exemplos raros, como talvez o Daniel Craig quando emerge do mar no filme do James Bond, Casino Royale». SerÁ então que quando o sol aparecer, os homens vão ouvir Porter e vestir um fato de calções ou vão simplesmente misturar-se na multidão com um fato tradicional? Muito provavelmente a segunda opção serÁ a mais escolhida. Até porque, parafraseando a Bíblia: o espírito é forte, mas os joelhos são fracos.