Início Arquivo

Vai uma, vai duas… vendido!

As pechinchas começam abaixo de 150 dólares (108,21 euros) e as mais caras ultrapassam os 100 mil dólares. As carteiras de designer são a mais recente loucura a tomar de assalto as leiloeiras mundiais e a conhecerem preços recorde. A texana Heritage Auctions, que afirma ser líder de mercado em acessórios de luxo, fez o seu leilão de primavera em Nova Iorque e ainda antes deste ter lugar, já se revelava otimista. «Espero entrar no top 10, mas não acredito que alguma peça vá bater um recorde mundial», afirmou o diretor de acessórios de luxo, Matthew Rubinger, de 26 anos. Do lote de 800 peças a submeter-se “à lei do martelo”, a mais cara é uma Birkin da Hermès, em crocodilo preto, complementada por um fecho e uma pega com diamantes e ouro branco, avaliada entre 80 mil e 100 mil dólares. A segunda mais cara é também uma Birkin, em crocodilo vermelho, com costuras violeta, pega em ouro e ornamentos especiais em forma de ferradura com preço entre os 70 mil e os 90 mil dólares. No mercado de leilões de luxo, as carteiras da Hermès são de longe as mais valiosas, sobretudo as batizadas em honra da atriz britânica Jane Birkin e a linha Kelly que honra a mítica Princesa Grace do Mónaco. Na categoria de acessórios de luxo, que a Heritage criou em 2010, a Hermès é seguida pela Chanel e pela Louis Vuitton, à frente da Gucci, Prada e Céline, revela Rubinger. Em 2010, a Heritage vendeu 200 lotes por 708.200 dólares, com as vendas brutas a atingirem uns impressionantes 14,5 milhões de dólares em 2013, aponta. A leiloeira vendeu oito dos 10 recordes mundiais, incluindo o recorde reinante de 203.105 dólares por uma Birkin em crocodilo vermelho com apenas 30 centímetros, que foi vendida em Dallas, no Texas, em 6 de dezembro de 2011. «Este é um mercado tão novo», sustenta Rubinger. «É por isso que é tão divertido», acrescenta. Compradores e vendedores são muitas vezes os mesmos, com os principais clientes concentrados nos EUA, América do Sul, Europa, Médio Oriente, Rússia e Ásia. «O que é interessante, na maior parte das vezes, é que não há muita variação no que as pessoas estão à procura», destaca. A Heritage não é a única leiloeira a aproveitar este novo impulso. A Bonhams, em Los Angeles, a Christie’s de Londres e a Artcurial em Paris, todas oferecem acessórios de luxo. A concorrência não preocupa Rubinger, que comprou e vendeu a sua primeira carteira na Internet para a sua mãe quando tinha apenas 12 anos. «À medida que estes players crescem, ajudam-nos», afirma. «Quantas mais pessoas estiverem nesta indústria, mais o nosso mercado se expande», explica. No dia a seguinte ao leilão de Nova Iorque da Heritage, foi a vez da Artcurial, que tem dois dos recordes das 10 maiores vendas, com um leilão de “Vintage Hermès” de centenas de carteiras da famosa marca parisiense. Entre as mais caras estava uma Birkin, de 35 cm, em crocodilo castanho mate, avaliada entre 30 mil e 35 mil euros, e uma Birkin de 30 cm, em crocodilo preto mate, com valor estimado entre 14 mil e 16 mil euros. «Cada leilão aumenta em comparação com o anterior», indica Rubinger. O mercado para as carteiras de designer de elevado valor está a crescer – tanto que mesmo os homens mostram-se apreciadores. «Maridos de clientes que já tenho há anos agora que os preços subiram estão mais interessados, estamos a falar de muito dinheiro», confessa Rubinger. «É uma razão pela qual os homens ficaram mais interessados. Pode fazer uma compra realmente parva por 50 dólares ou pode fazer uma compra inteligente de 50 mil dólares», conclui.