Início Arquivo

Vandevelde abandona o cargo de director geral

Luc Vandevelde, o arquitecto da reestruturação da Marks and Spencer, confirmou na passada quarta-feira o abandono da sua posição de director geral para se tornar em presidente part-time, já a partir de Setembro. O anúncio deu-se quando o grupo confirmou um aumento de 14,8% nas vendas de vestuário no primeiro trimestre. Como esperado, Roger Holmes, director do retalho britânico, que tem vindo a gerir o grupo nos bastidores há já algum tempo, deverá assumir o cargo de director geral. Vandevelde afirmou que seria altura para dividir o seus cargos e a pessoa indicada para levar a empresa em frente é sem dúvida Holmes. Quando confrontado com o facto não ter tido uma boa administração ao acumular tanto o cargo de director geral, como o de presidente, Vandevelde responde que na altura era necessário. “Uma boa administração traduz-se em fazer o melhor pela empresa na altura certa. Nunca foi meu plano ficar com dois cargos”, argumenta. Para além das boas vendas no vestuário, o grupo conseguiu um aumento de 7,7% no primeiro trimestre, nas vendas das lojas abertas há mais de um ano e um aumento de 9% no total de vendas. Nas 14 semanas que terminaram a 6 de Julho, as vendas de vestuário, calçado e artigos para o lar, aumentaram 12,7% nas lojas abertas há mais de um ano, enquanto que nos artigos alimentares o aumento situou-se nos 1,5%. Vandevelde afirma que apesar de estar satisfeito com os resultados, o grupo aprendeu a não ser complacente. “Ainda temos muito terreno perdido para recuperar, estamos no final de uma pura reestruturação e estamos agora a entrar num período de crescimento, temos muito que fazer”. O administrador acrescenta que “estamos diferentes, somos mais centrados nos negócios hoje em dia. Estamos seguir uma estratégia clara e, com este anúncio, estamos a colocar no lugar a estrutura de liderança certa”. Holmes adiantou que o grupo esperava atingir 13% de quota de mercado que já chegou a atingir no auge das suas vendas, mas só consegui chegar aos 11% durante esse período. Mesmo deixando de exercer o cargo de director geral, Vandevelde não planeia abandonar a empresa num futuro próximo. Apesar de ter deixado escapar que está de olho em alguns projectos, o actual director da empresa de retalho enfatiza que a “M&S continua a ser a sua maior prioridade”.