Início Arquivo

Venda por Correio, uma dupla realidade

Observando a performance da venda por correio em diferentes países, nomeadamente nos Estados Unidos e Itália, leva-nos a uma empírica ilação de directa relação dos resultados das empresas deste segmento e do funcionamento dos serviços de correios e da procura nos respectivos países. A Postal Market, perto de Milão, a última empresa de venda através de correios na Itália, teve de abrir falência. A empresa, fundada em 1958, encontrou uma série de problemas económicos nos anos 80. Algumas das razões foram as demoras na entrega dos produtos ao cliente por causa do mau funcionamento dos correios italianos e a tentativa de vender roupa de designers através dos correios. A família dos fundadores tomou a decisão de vender a empresa ao grupo alemão Otto em 1988. Nessa altura, a Postal Market tinha 1.000 empregados e um volume de vendas de 306 milhões Euros. A Otto investiu fortemente na empresa e conseguiu ultrapassar os problemas através de uma re-orientação nas ofertas (artigos mais baratos), a instalação de um serviço de entrega própria e um controlo rigoroso sobre a relação preço/serviço. Em 1999, a Otto vendeu a Postal Market ao grupo Filograno que, para o ano 2000, anunciou um prejuízo de 50 milhões de Euros. O provável fim da Postal Market foi precedido pela falência de duas outras empresas italianas de venda através de correios, a Vestro e a Euronova. A empresa americana Land’s End, outro vendedor através dos correios, conseguiu aumentar o seu volume de vendas 4%, atingindo os 319 milhões de Euros durante o segundo trimestre de 2001. Mesmo assim, o comércio internacional da empresa diminuiu 7% por causa dos câmbios. A Land’s End sublinha o facto de os negócios terem crescido também na Grã-Bretanha e na Alemanha durante a segunda metade do ano. Só o volume de vendas no Japão diminuiu. Durante a primeira metade do ano 2001, o volume de vendas da empresa cresceu 6%, atingindo os 266 milhões de Euros. Ao contrário do ano anterior em que a empresa teve um prejuízo de 1,78 milhões de Euros, anunciou um lucro de 9,82 milhões de Euros na primeira metade do ano 2001.