Início Notícias Retalho

Vendas de 2020 não desanimam Primark

Embora tenha perdido quase 470 milhões de euros em vendas com os confinamentos do outono na Europa e tenha registado uma queda de 62% nos lucros no último ano fiscal, terminado a 12 de setembro, a retalhista de moda de preços baixos está confiante para o futuro.

[©Primark]

A Associated British Foods (ABF), a empresa que detém a Primark, revelou que a retalhista de moda terá perdido 430 milhões de libras (cerca de 469,4 milhões de euros) durante os mais recentes confinamentos na Europa.

Em 2020, o volume de negócios total do grupo caiu 12%, para 13,9 mil milhões de libras no ano terminado em setembro. A Primark, em particular, registou uma queda dos lucros de 62% no ano até 12 de setembro, baixando de 969 milhões de libras para 362 milhões de libras, enquanto o volume de negócios baixou 24%, para 5,89 mil milhões de libras, refletindo o encerramento de lojas um pouco por toda a Europa na primeira vaga de Covid-19.

Na atualização dos resultados do grupo no início deste mês, Michael McLintock, presidente do conselho de administração da ABF, realçou que «as lojas nos nossos grandes mercados da República da Irlanda, Inglaterra, França e Bélgica reabriram na última semana. As vendas nos dias desde a reabertura em cada um destes mercados foram, mais uma vez, muito fortes, refletindo o entusiasmo e a atratividade da oferta da Primark».

Nos diversos mercados da Primark, havia ainda, a 4 de dezembro, 34 lojas temporariamente encerradas, incluindo todos os pontos de venda na Irlanda do Norte e na Áustria. «Isso representa 7% do nosso espaço total de retalho, em comparação com 62%, quando tivemos número mais elevado de lojas encerradas», indicou.

Apesar destas perdas, sublinhou McLintock, «todas as encomendas colocadas nos nossos fornecedores foram honradas».

Preparar o crescimento em 2021

Desde o início do novo ano fiscal, a Primark abriu novas lojas nos EUA, assim como a primeira loja em Roma, a quinta em Barcelona e uma outra em Léon, que marca a 50.ª loja em Espanha. «A abertura destas lojas eleva a nossa contagem total para 389 lojas e 16,5 milhões de pés quadrados [1,53 milhões de metros quadrados] de espaço de retalho», revelou o presidente do conselho de administração da ABF.

[©Primark]
As perspetivas para o atual ano fiscal são também positivas, com Michael McLintock a salientar que «apesar dos períodos de restrição anunciados atualmente, continuamos a esperar que as vendas e lucros da Primark sejam mais altos este ano fiscal em comparação com o anterior», acrescentando que «vamos continuar a expandir o espaço de retalho».

A empresa, garantiu McLintock, está igualmente preparada para o Brexit. «Os nossos negócios concluíram todas as preparações práticas para o final do período de transição este mês e estão em vigor planos de contingência caso enfrentemos alguma disrupção em algum momento», concluiu o presidente do conselho de administração da ABF.