Início Destaques

Verão 2022 mais leve na Paulo Oliveira

A produtora de lanifícios está a diversificar a oferta, equilibrando as referências para fatos e vestuário formal com propostas mais casuais. Para a primavera-verão 2022, a Paulo Oliveira propõe tecidos leves, diferentes misturas de fibras, incluindo recicladas, e mais cor, tanto para homem como para a crescente linha de senhora.

Paulo Augusto Oliveira

No passado conotada com o mercado formal, nomeadamente com os tecidos para fatos de homem, a Paulo Oliveira tem vindo a diversificar a oferta, acompanhando as tendências do mercado de uma maior casualização da moda, e a coleção para a primavera-verão 2022 é prova disso.

«As palavras-chave que orientaram a elaboração desta coleção foram conforto e sustentabilidade. Isto foi transversal em toda a nossa oferta. Inclusive nos acabamentos e nas cores», explica Paulo Augusto Oliveira, administrador da empresa, acrescentando que «a casualização já era uma tendência e a pandemia acelerou este processo. Mas, nós olhamos para a nossa oferta não tanto como uma coleção, mas como um conjunto de coleções e uma delas é a que chamamos “informal”, que temos feito crescer».

[©Paulo Oliveira]
As propostas para peças mais informais e casuais ocupam agora cerca de 50% das referências e mesmo as que, aparentemente, são mais formais, adaptam-se já, pela sua estrutura ou composição, ao business casual que se tornou a norma no mundo dos negócios.

«A nossa oferta cresceu em várias direções», revela Roberto Nuno, comercial da Paulo Oliveira, durante a apresentação virtual da coleção ao Portugal Têxtil. «Há um investimento para desenvolver outros mercados», salienta.

Conforto ganha destaque

Cartaz de cores de senhora [©Paulo Oliveira]
Dividida em 15 conceitos, a que se somam os cartazes de cores – eles próprios mais diversificados e com cores mais alegres, sobretudo nas propostas de senhora, que incluem diversos tons de laranja, amarelo, rosa, vermelho e azul –, a coleção para a estação quente do próximo ano inclui uma oferta mais abrangente na gama Pink, a consolidação da aposta na sustentabilidade, com destaque para os reciclados, e uma atenção especial ao conforto.

Jersey Comfort [©Paulo Oliveira]
No conceito Jersey Comfort, há uma forte aposta no tecido bi-elástico, que possibilita peças excecionalmente confortáveis e mais informais. Além disso, os tecidos apresentam uma melhor performance de resistência à ruga e de recuperação do amarrotado. «Permite criar peças mais casuais, por exemplo, um casaco que pode ser usado numa viagem sem amarrotar», exemplifica Roberto Nuno.

A casualidade passa igualmente pelos tecidos para overshirts, como no conceito Summer, que dá continuidade à gama lançada no outono-inverno 2021/2022,agora reforçada com artigos diferenciados e mais leves (200 g/m).

Sustentabilidade transversal

Ao longo de todos os conceitos, a sustentabilidade é um tema transversal – embora agrupado no conceito Oliveira Green, dedicado a artigos mais amigos do ambiente –, com especial referência para o poliéster reciclado, com a empresa a ter «operacional» o certificado GRS – Global Recycled Standard.

Oliveira Green [©Paulo Oliveira]
«Neste momento temos já uma gama bastante completa de artigos com poliéster reciclado», destaca Roberto Nuno. A novidade nesta área são os tecidos compostos por algodão orgânico e poliéster reciclado. «A vertente “green” está a ser bastante trabalhada», garante. Nesta coleção surge inclusive um novo conceito, pautado por cores naturais, produzido sem utilização de químicos e com grande poupança de água.

A Pink – a gama dedicada ao segmento feminino – foi igualmente reforçada, nomeadamente com artigos muito elásticos, desenhos e «estruturas bastante diferentes, mais vocacionadas para o mercado de senhora», aponta Roberto Nuno.

É o caso do foile à prova de água e respirável que pode ser usado, por exemplo, para produzir parkas.

Outerwear com reforços

As referências incluídas no conceito Multifunctional contemplam, além do foile na gama Pink, tecidos com membranas respiráveis, que são à prova de vento e água, assim como acabamentos repelentes de água, aplicáveis a diferentes composições e mais amigos do ambiente.

Pink – Multifunctional [©Paulo Oliveira]
«São mais ecológicos pelo produto em si mas também porque evitam lavagens frequentes – ao sujarem-se menos, são menos lavados e, como tal, têm maior durabilidade», indica Roberto Nuno.

Uma coleção que está a ser «bem aceite» pelos clientes, segundo o comercial da Paulo Oliveira. «Nunca se pode desperdiçar uma boa crise. O vestuário formal enfrentou a maior crise de sempre, com o retalho encerrado e um produto que não se vende online. Mas as crises também têm partes boas e são de uma transparência cruel, evidenciando quem está à altura, quem tem consistência e energia para sair da sua zona de conforto, o comprometimento para fazer o que tem que ser feito. E a maior satisfação que quero guardar desta etapa é o privilégio de trabalhar com pessoas fantásticas. Acho que a nossa equipa de produto tem feito um trabalho extraordinário e que a nossa oferta está a crescer em abrangência e a enriquecer-se. Os nossos comerciais têm sido espetaculares. A caravana vai voltar a andar e nós estaremos mais fortes e mais preparados», afirma Paulo Augusto Oliveira.

Pink [©Paulo Oliveira]
A coleção está a ser apresentada, para já, com recurso à ferramenta digital desenvolvida pela empresa para contornar as dificuldades impostas pela pandemia, uma estratégia que, apesar do regresso previsto às feiras físicas, a começar pela Milano Unica, no início de julho, se deverá manter. «A plataforma online foi concebida dentro da nossa perspetiva da “transformação digital” e a digitalização do produto não se esgota na plataforma nem na venda. A pandemia acelerou a plataforma online, mas esta não foi concebida para ser o canal privilegiado de venda. A plataforma é mais uma ferramenta e o tempo vai consolidar a sua utilidade, seja para nós, seja para os nossos parceiros», acredita o administrador da Paulo Oliveira.