Início Destaques

Verdes e inovadoras

As empresas presentes na última edição do Modtissimo responderam positivamente ao mote de sustentabilidade e inovação lançado pela organização e mostraram os seus trunfos. Materiais mais ecológicos e produtos vanguardistas fizeram parte das novidades apresentadas, incluindo das nomeadas para os prémios iTechStyle.

Joltex

Foi sob o lema “A new community is coming” que o Modtissimo voltou a juntar a indústria têxtil e vestuário na Alfândega do Porto. Nos dias 2 e 3 de outubro, cerca de 200 expositores de fios, tecidos, vestuário e serviços estiveram a mostrar as novas propostas para as próximas coleções a milhares de visitantes, incluindo várias centenas de estrangeiros, nomeadamente espanhóis, russos, americanos e japoneses.

O tema comum parece ser cada vez mais a sustentabilidade, que, nuns mais, noutros menos, integrou as propostas de praticamente todos os expositores. Nas malhas, a Brito & Miranda apresentou uma coleção que se distingue na oferta para blazers e nas diferentes certificações, incluindo GOTS – Global Organic Textile Standard, GRS – Global Recycle Standard e OCS – Organic Content Standard. «Estamos a apresentar coisas muito nobres ao nível de poliésteres reciclados e algodões reciclados – estão a ter uma procura muito grande», apontou Isabel Campos, responsável de desenvolvimento de produto.

Ricardo Faria

Não sendo uma novidade completa na moda, a Dunebleue garante que as suas meias com Seaqual – um fio feito a partir da reciclagem de plásticos recolhidos no mar – são uma estreia. «Toda a gente fala no assunto, mas [os visitantes do Modtissimo] ainda não tinham visto nem tocado numa meia e quando tocam ficam surpreendidos pela positiva com a qualidade», indicou Ricardo Faria, CEO da empresa, que usa ainda fibras recicladas de algodão e lã na composição das peúgas.

Na oferta da Orfama, as lãs, caxemiras e algodões reciclados têm estado em destaque. «Hoje em dia o mercado está muito à procura da sustentabilidade e de produtos inovadores que possam criar no cliente uma mais-valia em termos de conforto, de propriedades térmicas e, ao mesmo tempo, de design. É nessa área que temos vindo a desenvolver as nossas coleções», referiu ao Portugal Têxtil António Cunha, sales area manager da empresa.

Leonel Souto (Wtex)

Já nos acabamentos, a Wtex, do grupo ERT, esteve pela primeira vez no Modtissimo e incluiu na sua oferta o revestimento BioEVA, que usa os desperdícios de EVA (acetato de vinil etileno). Além disso, a empresa esteve a mostrar a sua capacidade, que em breve deverá aumentar com a instalação de uma nova linha de laminação por hot-melt. «Esperamos que nos possa abrir algumas oportunidades, nomeadamente na área dos têxteis-lar», revelou Leonel Souto, key account manager da empresa.

14 candidatos aos prémios iTechStyle

Também no iTechStyle Showcase, a área dedicada à inovação, a sustentabilidade esteve em destaque, e não só no espaço denominado Green Circle, que voltou a juntar designers e empresas na busca por opções mais ecológicas logo desde a conceção.

ASampaio

A Confetil, por exemplo, desenvolveu umas calças e camisola com capuz feitas a partir de 100% matérias-primas recicladas que se destacam por, no fim de vida, poderem ser facilmente separadas por fibras pelo próprio consumidor para reciclar. Este é um dos projetos candidatos ao prémio iTechStyle na categoria de sustentabilidade, juntamente com o vestido em malha com revestimento de resíduos de couro da ERT, o vestido com design da Davii desenvolvido com uma malha dupla feita com fibras de algodão orgânico, cânhamo e urtiga da Joaps, e o vestido desenhado pela Maison Alexandrine com malha da A. Sampaio com fibras recicladas pós-consumo de lã, algodão, poliamida e acrílico.

Na área dos tecidos, os nomeados são a Lemar, com um tecido com Seaqual e poliéster reciclado, a NGS Malhas, com uma malha com algodão orgânico, poliamida biodegradável e PLA (ácido polilático), a TMG, com uma estrutura têxtil híbrida para reforço de compostos termoendurecíveis e monitorização do desempenho mecânico, e a Scoop, com a malha Lumiton by Scoop. «É o nosso primeiro grande projeto nos tecidos», confessou, ao Portugal Têxtil, Daniel Mota Pinto, diretor de estratégia e desenvolvimento de negócio da empresa. A malha foi criada em parceria com a Universidade da Carolina do Norte, «que desenvolveu uma tecnologia onde conseguimos incorporar uma técnica de laser no fio. Quando a luz solar toca na malha, transforma automaticamente os ultravioletas em infravermelhos, ou seja, deixa de ser prejudicial e passa a ser benéfico para a saúde», explicou.

Daniel Mota Pinto (Scoop)

A lista de candidatos a um prémio iTechStyle fica completa com a Polisport, a Oldtrading e a Têxteis Penedo, na área dos produtos, e a Elited, a Envicorte e a Louropel, na área dos acessórios.

Os vencedores – que sairão de um grupo que juntam estes e mais 11 nomeados na edição anterior do Modtissimo – serão conhecidos na próxima edição da iTechStyle Summit, que está agendada para 28 a 30 de abril de 2020.