Início Destaques

Vestuário acelera em fevereiro

Nos primeiros dois meses do ano, as exportações portuguesas de vestuário aumentaram 7,2%, para um valor superior a 529 milhões de euros. No total, as exportações da indústria têxtil e vestuário cresceram 5,6%, atingindo os 839,2 milhões de euros.

As exportações nacionais continuam em rota ascendente, com os números para os dois primeiros meses do ano a darem conta de uma subida equivalente a 44,5 milhões de euros, em comparação com o período homólogo de 2015.

No que diz respeito ao vestuário, segundo um comunicado da ANIVEC – Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção, Espanha continua a liderar a lista dos principais mercados, tendo verificado um crescimento de 15,1%, para 218,5 milhões de euros, mas as empresas portuguesas registaram igualmente mais vendas para o Reino Unido (+4,7%, equivalente a mais 2,2 milhões de euros, para 48,5 milhões de euros), Países Baixos (+ 10%, correspondente a mais 2,3 milhões de euros, para 25,3 milhões de euros) e Itália (+ 11,9%, equivalente a um aumento de 2,1 milhões de euros, para  um total de 19,6 milhões de euros).

Nos mercados fora da União Europeia, os EUA destacam-se. Nos meses de janeiro e fevereiro de 2016, a procura americana por vestuário “made in Portugal” cresceu 4,6% face ao mesmo período de 2015, para um valor total de 12,2 milhões de euros. Destaque ainda para a Tunísia, Hong Kong, China e Arábia Saudita, que aumentaram as suas compras a Portugal.

«O vestuário português continua a marcar pontos pela qualidade de produção, pelo design e pela rapidez de resposta das empresas nacionais. O crescimento nestes primeiros dois meses do ano alimenta as expectativas de um 2016 positivo, à semelhança do que têm sido os últimos anos. É preciso continuar a apostar na internacionalização e crescer fora da União Europeia», considera César Araújo, presidente da direção da ANIVEC.

No total da indústria têxtil e vestuário, de acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística, a União Europeia continua a ser o principal destino das exportações nacionais (714,6 milhões de euros). Espanha lidera a lista de principais compradores, com uma quota de 33% – tendo mesmo registado um crescimento equivalente a 29 milhões de euros – seguida de França, Alemanha, Reino Unido e EUA – o primeiro mercado extra-UE, que representa atualmente 5% de todas as exportações do sector.

Em termos de categorias, para além do vestuário, os tecidos especiais e tufados evidenciaram um aumento das vendas de 27,5%, para 17,6 milhões de euros, enquanto as exportações de tapetes e outros revestimentos têxteis cresceram cerca de 22%, para 14,1 milhões de euros.

A balança comercial do sector registou um saldo positivo de cerca de 233 milhões de euros, apesar do aumento das importações de 593,1 milhões de euros nos primeiros dois meses de 2015 para 606,6 milhões de euros no mesmo período de 2016.