Início Notícias Têxtil

Vestuário dá corda às exportações

Com a palavra desistir fora do dicionário, a ITV garantiu um ano recorde nas exportações, que superaram os 5 mil milhões de euros. Além do vestuário, as empresas nacionais de fios, tecidos e têxteis-lar garantiram este crescimento com o reforço nos mercados tradicionais e a busca por novas latitudes.

A aposta na internacionalização que as empresas têm feito nos últimos anos deram frutos evidentes em 2016, com as exportações da indústria têxtil e vestuário a atingirem um recorde e a ultrapassarem a meta dos 5 mil milhões de euros. Na edição de março do Jornal Têxtil analisamos as categorias de artigos “made in Portugal” mais procuradas pelos clientes internacionais nos fios, tecidos, têxteis-lar e vestuário, incluindo o ponto de vista dos protagonistas, desde as empresas – como a Albano Morgado, Fiação da Graça, Fateba, Fitecom, Flor da Moda, Gouveia & Campos, Heliotextil, Inovafil, Joaps Malhas, Lipaco, Malhas Ribeiro, Paula Borges, Paulo de Oliveira, Pereira da Cunha, Piubele, Sampedro, Somelos Tecidos, Tearfil, Têxteis Penedo, Vilartex e Villafelpos – às associações que as representam.

Em foco nesta edição está ainda a Pedrosa & Rodrigues, ela própria voltada, praticamente desde a sua fundação, para a exportação. Miguel Pedrosa Rodrigues, a segunda geração ligada à empresa, revela em entrevista os novos projetos da produtora de vestuário em malha, onde constam a formação interna de técnicas de confeção para transmitir o know-how e assegurar o futuro do negócio.

Técnica, I&D mas também moda fazem parte dos conceitos explorados pela Coltec, que se orgulha de fazer «coisas diferentes todos os dias», como explica o CEO Paulo Neves, que em entrevista ao Jornal Têxtil dá conta da criação de uma nova unidade produtiva e aponta a direção para o futuro da empresa especialista em laminagem e revestimento.

A investir novamente na produção está a Fitor, que fabrica já 90% dos fios que vende, enquanto a TMG Textiles está apostada em fazer crescer o seu negócio de malha, tanto em rolo como em peça confecionada. A Idepa, por seu lado, está a reforçar a área técnica, e, aos 90 anos, a Apertex confia na elevada qualidade das suas colchas para conquistar clientes em mais de 50 países. A Têxtil Sancar tem uma nova unidade produtiva para responder ao aumento da procura, a Clothius está a lançar-se no seamless, a The Cotton Baby Company passou de uma “brincadeira” para um negócio sério, com clientes de referência para as suas coleções de moda infantil, e a Capote’s Emotion está a pôr o capote alentejano na moda pelo mundo fora.

Nesta edição de março, viajamos ainda aos principais certames profissionais, para fazermos os balanços das feiras Texworld Paris, Premiére Vision Paris, Ispo Munich, Ambiente e Momad Metropolis, com especial destaque para a presença nacional, e apresentamos alguns dos projetos que estiveram em foco na 1.ª edição da iTechStyle Summit, organizada pelo Citeve.

Fique ainda a par dos números da conjuntura e das principais novidades internacionais, incluindo a investigação na área dos músculos têxteis e a nova fibra da Lenzing, e espreite o suplemento Química da Empresas, onde a Focor e o Grupo ADI apresentam as suas mais recentes soluções.

Se ainda não assinante, aproveite a primavera e renove as suas fontes de informação com a subscrição do Jornal Têxtil (aqui).