Início Arquivo

Vestuário de criança em expansão

A maior disponibilidade financeira dos pais e a maior sensibilidade das crianças em relação às marcas estão a fomentar o futuro crescimento do mercado de vestuário para criança, conforme nos relata um novo relatório exaustivo sobre o sector elaborado pelo just-style. De maior relevância para os retalhistas e para as marcas são as economias em desenvolvimento, onde as famílias vão despender mais da sua nova riqueza na aquisição de vestuário para os seus filhos.

O mercado internacional de roupa de criança encontra-se estimado em mais de 28 mil milhões de dólares em 2005 e o seu crescimento ao longo dos próximos anos deverá ultrapassar os aumentos nas taxas de natalidade, de acordo com o referido pelo novo relatório do just-style designado por: Global Market Review of Children’s Wear – Forecasts to 2010. Factores chave para este crescimento incluem uma população em envelhecimento, implicando a existência de mais avós com vontade de despender dinheiro com os seus netos, uma maior riqueza e gastos no consumidor em países como a Rússia e a China, e mais mães a regressarem ao trabalho nos países desenvolvidos, originando rendimentos adicionais para gastar em vestuário para as suas crianças.

O relatório também inclui uma perspectiva geral do mercado, abrangendo o período de 2000 a 2004, e incluindo as previsões até 2010. O relatório analisa os pontos-chave e os principais intervenientes internacionais sob uma perspectiva de marca e de retalho, identificando ainda as principais tendências dos produtos. O relatório inclui também uma análise do mercado de calçado escolar no Reino Unido.

Influências da gama alta

Em termos gerais, o vestuário para criança está mais do que nunca aberto à influência do mercado de moda de gama alta. Entre as influências registadas, salienta-se o caso do vestuário urbano, incluindo os estilos influenciados pelos desportos como o skate e os estilos do tipo graffiti, assim como das marcas desportivas que estão a entrar na moda de criança e, em alguns casos, no vestuário escolar. Também as marcas de gama alta estão a marcar a sua influência.

Marcas como Diesel e DKNY desenvolveram linhas de vestuário para criança bem sucedidas, respondendo à procura de pais e crianças sensíveis a marcas. A publicidade transmitida através da televisão e da Internet fomentou esta procura e conduziu a uma maior percepção entre os jovens em particular. No âmbito do retalho, a consolidação originou um vasto número de intervenientes que são cada vez mais dominantes, incluindo a Tesco do Reino Unido e a norte-americana Wal-Mart.

Estas empresas são significativamente competitivas em termos de preços, fomentando a procura pela subcontratação de produtos mais baratos, frequentemente originários nos países do Sudeste Asiático. O estudo identifica também a segurança como um aspecto importante no vestuário para criança, fundamentalmente durante o período de infância.

Esta já é uma questão muito importante no mercado norte-americano e nos mercados ocidentais, onde o nível da legislação é elevado e provavelmente tornar-se-á cada vez mais relevante à medida que os países em desenvolvimento incrementam a sua própria legislação.

Mercados globais

Os EUA permanecem em destaque como o maior e mais importante mercado de vestuário para criança, com o consumo per capita das crianças entre os 5 e os 14 anos a ser quase o dobro do registado na Europa Ocidental e mais de quarenta vezes o registado na região da Ásia-Pacífico. O relatório do just-style prevê um crescimento contínuo no mercado norte-americano onde o toque, as utilizações mais arrojadas da cor e a origem na Europa Ocidental são actualmente factores chave.

Existe potencial para o crescimento também no mercado da Europa Ocidental, onde a consciência da marca está a crescer, influenciada pelas tendências de moda dos EUA. No entanto, o maior poder dos supermercados e, em países como a Alemanha, das lojas de desconto, está a fomentar a competitividade no preço. Com a presença da sede da Adidas e sendo a anfitriã do mundial de futebol em 2006, o relatório refere que a Alemanha poderá registar uma evolução significativa no seu mercado.

A França é considerada um mercado com excelente potencial de crescimento, principalmente para o vestuário com influência dos EUA, mas o just-style refere que a contínua incerteza económica poderá originar um efeito contrário e afectar as perspectivas de crescimento.

O Reino Unido permanece um mercado muito concorrido, onde os supermercados como o Tesco ea Asda (pertencente à Wal-Mart), assim como diversos retalhistas como a Next e a Marks & Spencer, possuem uma forte presença. A concorrência no preço está a originar mais subcontratação no Sudeste da Ásia, mas, de acordo com o relatório, esta situação poderá originar prazos de entrega mais longos para os produtos, tornando os retalhistas mais lentos na resposta às mudanças na procura do consumidor.

Apesar da relativa falta de desenvolvimento no mercado dos países da Ásia-Pacífico, existe ainda potencial em países como a China, onde as marcas estrangeiras estão a registar uma influência crescente, podendo em contrapartida originar o aparecimento de marcas locais. O relatório é menos optimista em relação às perspectivas do Japão, onde a baixa taxa de natalidade e a deflação dos preços estão a frustrar o crescimento do mercado.

O crescimento da população poderá parecer uma via óbvia para o crescimento do mercado de vestuário de criança, mas o relatório do just-style avisa que quando o aumento da população afecta o rendimento disponível, o mercado pode efectivamente registar uma diminuição ao nível do consumo per capita. No entanto, as famílias mais pequenas na Europa Ocidental podem, considerando a mesma lógica, atrair um consumo per capita mais significativo.

Tendências futuras

Diversas tendências futuras são identificadas no âmbito deste relatório, incluindo a contínua influência dos desportos com prancha e a utilização de gráficos estampados, para além da crescente utilização de tecidos técnicos como o Gore-Tex.

O relatório do just-style conclui com uma análise aprofundada do mercado de vestuário escolar no Reino Unido, o qual se encontrava valorizado em 12,7 mil milhões de dólares em 2003. Prevê-se também um crescimento consistente neste mercado, com a rede de supermercados Tesco a destacar-se como o principal player.

As compras mais baratas no Sudeste da Ásia estão a manter os preços baixos, enquanto que as marcas desportivas estão a conquistar uma maior relevância. No entanto, apesar de manterem um papel chave no fornecimento de uniformes e acessórios aos colégios privados, os retalhistas independentes consideram a situação cada vez mais difícil, à medida que aumenta o poder dos supermercados e dos grandes retalhistas.