Início Arquivo

Vestuário e Calçado = Moda

Hoje em dia já quase não se pode falar de clusters, eles deixaram de servir para definir hierarquias entre sectores de economia, isto porque a economia está mais globalizada e as fronteiras já quase não existem. O que persiste é uma grande luta entre sectores. Uma luta que cada vez mais deixa de fazer sentido. Por exemplo, o sector do calçado em Portugal não pode ficar no topo do cluster do calçado. Este sector para ficar no topo de qualquer hierarquia tem que se juntar a um outro cluster, ao vestuário e ao têxtil, para poder andar a par das tendências. Esta união que teimava em não se concretizar não trazia vantagens nenhumas para ambos os sectores que agora formam um megacluster: a moda. O Proinov – Programa Integrado de Apoio à Inovação, incentiva este tipo de associações, já que leva aos empresários de ambos os sectores a trocarem ideias e a colaborarem para um mesmo fim. Maria João Rodrigues do gabinete Proinov, refere num relatório que «assumindo-se o calçado como uma das indústrias de moda, as precárias relações existentes com empresas do sector têxtil e vestuário fragilizam um potencial projecto de afirmação de Portugal», e é este o principal objectivo do sector: conquistar quotas de mercado fora de fronteiras. Mas, neste momento Portugal tem um claro défice de imagem de marca do nosso país, que é uma referência e um autêntico acelerador de vendas. Esta união entre o calçado e o vestuário pode trazer muitas vantagens na conquista da imagem de marca do país, induzindo maior produtividade nas empresas nacionais. Para além disso, e enquanto a cumplicidade entre calçado e vestuário não se verificar, “a própria indústria do calçado”, afirma o relatório, «está longe de se poder considerar consolidada».