Início Arquivo

Vestuário infantil chinês revela corante cancerígeno

Dez por cento do vestuário para criança produzido no sul da China contém um corante perigoso que pode causar cancro, de acordo com um relatório divulgado pelos media estatais no final do passado mês de Maio. No topo da lista aparece que cerca de metade do vestuário analisado pela Administração da Indústria e do Comércio durante os 3 meses de controlo não respeita as normas de segurança. Enquanto uns contêm elevado teor de formaldeído, outros apresentam níveis de pH incorrectos ou etiquetas erradas.Elevados níveis de uma amina aromática cancerígena foram detectados em 10% dos 91 lotes de vestuário retirados de 22 supermercados, entre Janeiro e Março, em 6 cidades chinesas, incluindo Guangzhou e Shenzhen. Entre as marcas de vestuário que chumbaram nos testes encontram-se nomes como a Bettyboop, e.baby e Mina. Os piores casos continham um teor da amina aromática 10 vezes superior ao nível considerado como seguro. A administração oficial declarou que a substância poderia causar cancro na uretra ou na bexiga se a peça fosse usada junto à pele durante um longo período de tempo. Não foi, todavia, revelado se alguma criança tinha já sido afectada pelo vestuário em questão. Entretanto, o número um mundial da distribuição, a americana Wal-Mart, anunciou a retirada de venda em algumas das suas lojas na China de marcas de vestuário para criança onde foram detectados o corante cancerígeno. «É inaceitável. Lançamos uma investigação para evitar que incidentes similares se reproduzam», declarou Huang Jianling. No entanto, a responsável das relações públicas da Wal-Mart na China recusou-se a revelar se o vestuário poderia também ter sido posto à venda noutras lojas da Wal-Mart no mundo. Na província de Guangdong (sul), lojas Wal-Mart vendiam nove marcas chinesas de vestuário infantil contendo este corante. O gigante americano está presente em 22 cidades da China.