Início Arquivo

Vestuário para combate

Com o eclodir da guerra no Iraque, entraram em acção vários milhares de soldados americanos e britânicos altamente treinados e equipados com a mais recente tecnologia e equipamento militar. Nos Estados Unidos, especialistas em vestuário revelaram recentemente alguns dos segredos relativos aos tecnologicamente avançados e secretos uniformes, criados no âmbito do projecto “Objectivo: Força Guerreira”, e agora descritos num artigo do Just-style.com. O sistema em causa, denominado Uniforme de Combate Protectivo (PCU), integra a tecnologia em tecido mais avançada do mundo, e de acordo com as chefias militares americanas, vai proporcionar aos 15.000 soldados que o vão usar numa fase inicial uma vantagem crucial nos campos de batalha. Assim, as temperaturas no deserto iraquiano aumentam durante o dia e baixam abruptamente à noite, o que significa que os militares americanos precisam de uniformes que lhes ofereçam a melhor protecção contra o frio cortante, bem como para o escaldante calor. O novo tipo de uniforme PCU contém sete camadas protectoras, e foi utilizado em primeiro lugar pelos elementos das operações especiais do Exército, Marinha, Força Aérea e Marines, sendo desenhado para suportar a chuva, a neve e os ventos fortes, em condições extremas e com temperaturas que vão desde os 45º negativos até aos 65º positivos. A criação deste novo uniforme marca o culminar de uma parceria inédita, iniciada no ano passado, entre os militares americanos, o destacado alpinista Mark Twight, e várias empresas privadas da indústria de vestuário exterior, como a Nextec Applications Inc., que fabrica tecidos de tecnologia avançada, com encapsulação de polímeros. Outras empresas que contribuíram para este projecto incluem a YKK (fechos éclair), a Travis (materiais), a Malden Mills (materiais), e a 3M (encapsulação). Esta iniciativa marca igualmente a estreia do vestuário de combate desenvolvido como resultado do esforço conjunto dos diversos ramos militares. Segundo um responsável do projecto PCU, “este sistema de combate foi concebido para ser usado tanto nas montanhas como ao nível do mar, e com temperaturas muito altas ou muito baixas, tendo como objectivo obter o equilíbrio do metabolismo dos soldados, eliminando assim as variações bruscas na temperatura dos seus corpos, e ajudando estes soldados a manter todas as suas capacidades mentais e a força física, em quaisquer condições atmosféricas. “Se a temperatura do corpo do soldado baixar demasiado, ou subir bruscamente, a sua capacidade para pensar, disparar e deslocar-se ficará seriamente comprometida, e por essa razão, as condições meteorológicas sempre foram consideradas um dos maiores perigos por ele enfrentados, o que faz com que as tropas de elite sejam equipadas de maneira a desempenharem as suas missões especiais de forma eficaz, silenciosa e invisível”, acrescenta esta patente militar. Descrevendo este novo equipamento militar, e continuando a ser citado pelo artigo do Just-style.com, o oficial em questão acrescenta que “a T-shirt extremamente leve foi concebida para ser usada em todas as condições atmosféricas, podendo ser vestida isoladamente ou debaixo do uniforme de combate completo e em situações de batalha”. Refira-se que se trata de uma T-shirt enrugada e excepcionalmente resistente, que tem incorporado um painel 3-D (tridimensional) que melhora a sua aderência ao corpo humano, e possibilita uma melhor mobilidade, o que melhora consideravelmente a capacidade do soldado para se deslocar e abrigar do fogo inimigo. O referido equipamento foi testado pela primeira vez em Agosto de 2002, pelos Rangers do Exército americano e pelos SEALS da Marinha, no Alaska, e passou à fase de fabrico mais rapidamente do que qualquer outro uniforme na história militar dos Estados Unidos, estando prevista para breve a sua distribuição a dezenas de milhar de soldados norte-americanos. Entre os projectos que estão actualmente a ser desenvolvidos por um grupo de cientistas do MIT (Instituto de Tecnologia do Massachusetts), encontram-se uniformes de combate futuristas que protegerão os soldados das balas e dos gases mortíferos, tornado-os “invisíveis” e curando as suas feridas, bem como uma armadura em metal leve feita de uma mistura de polímeros rígidos e polímeros flexíveis, que resulta num material altamente resistente e flexível.