Início Arquivo

Vintage on-line

Janeiro é o mês mais cruel para os fanÁticos das compras. Na época depois das festas, as carteiras estão cheias mas de trocos, as lojas estão apenas com os restos das colecções de Inverno e a resolução de ano novo de não gastar tanto dinheiro este ano estÁ ainda enraizada no pensamento. Tudo isto é suficiente para dar dores de cabeça aos amantes da moda. Se lhe acrescentarmos os rumores de recessão, é o suficiente para a dor de cabeça passar a enxaqueca insuportÁvel. O que se pode fazer? Ver as últimas novidades das lojas de artigos vintage, por exemplo. O vintage tem “marcado pontos” em todo o mundo e é cada vez mais apreciado pelos consumidores. Em Portugal existem algumas lojas dedicadas a este universo, como A Outra Face da Lua, em Lisboa, ou a Retro Paradise, no Porto. Nos EUA, a oferta é mais vasta e apresenta-se jÁ sob outros suportes. A Value Village (Boutique VV como é conhecida) e a Goodwill têm agora sites na Internet, com links para sites de estilo, blogs, desfiles em webcast e até lojas eBay. Em vez de procurar aquele blusão vintage YSL por 11,99 dólares no meio de poliéster verde-lima, pode comprÁ-lo on-line. HÁ sempre um grupo de pessoas que vai procurar artigos mais baratos, independentemente de tudo o resto. Gostam deste tipo de estética “faça você mesmo” e da ideia de encontrar alguma coisa diferente. Mas isto estÁ a tornar-se novamente aceitÁvel para um número crescente de pessoas. A última vez que se registou um crescimento deste tipo foi com o estilo grunge dos anos 90, e agora hÁ um novo aumento com a moda ecológica. Reciclar e re-usar artigos estÁ na moda nos vÁrios sentidos da palavra», refere Em Hall, da Goodwill. Hall, que refere com orgulho que o seu único passado na moda é a subscrição da Vogue desde que tinha 12 anos, tem levantado o véu da escolha das lojas vintage e realça um artigo por semana para o site Goodwill, de Washington DC, colocar na sua pÁgina de leilões on-line, lançada no Outono. Os artigos que encontrou incluem botas Ann Demeulemeester, um fato YSL e um vestido Bob Mackie, e os canadianos são os segundos principais clientes da loja on-line. Também a Value Village (VV), outra loja conhecida pelos seus artigos vintage, aumentou a sua presença on-line com uma pÁgina que inclui links para sites de moda e para as pÁginas do MySpace e do Facebook dos seus “ReDesigners”, um grupo de “especialistas” adolescentes, canadianos e americanos, que actuam como blogers e embaixadores da VV. HÁ anos que compro na Value Village», refere Raphael Castelmezzano, um dos ReDesigners canadianos, de 19 anos, cujo blog apresenta escolhas mensais, visuais inspirados e dicas de estilo. Também trabalha na loja Value Village de Burlington, no OntÁrio, o local ideal para pesquisar nas prateleiras todos os dias. Gosto mesmo de alta-costura. é como se conseguisse encontrar muito designs vintage e muitas peças de qualidade. 80% do meu guarda-roupa é daqui, 20% é da Holt Renfrew. Na semana passada, consegui uma t-shirt vintage Christian Dior por 2,99 dólares». Sheri Marzolf, vice-presidente de marketing da Value Village, revela que o portal relançado em Outubro foi uma aposta natural, depois de aprender mais sobre os principais clientes – jovens aficionados pela moda e permanentemente ligados aos seus computadores. Os nossos clientes estão à procura de um visual único, e são também muito criativos», revela. Muitas vezes temos clientes que nos enviam fotos e cartas a contar o que fizeram, como por exemplo transformar umas jardineiras num vestido. São fotos fabulosas e realmente não tínhamos um sítio onde partilhar essas histórias». A Value Village, ao contrÁrio da Goodwill e do Exército de Salvação, não tem planos para lançar uma loja on-line, mas espera que a rede cada vez maior na Internet traga mais pessoas à procura de artigos nas suas lojas. Costumava ir à H&M e lojas desse género», refere Castelmezzano. Mas para mim, assim que se atinge um certo nível de conforto com o nosso próprio sentido de estilo, esses locais tornam a moda demasiado fÁcil. Vai-se lÁ, escolhe-se alguma coisa porque se parece a algo saído das passerelles e sabe-se que 10 mil milhões de pessoas também o vão ter. A Value Village é para pessoas que realmente gostam de comprar roupa única».