Início Notícias Vestuário

Wal-Mart integra sourcing

A maior retalhista mundial, a Wal-Mart Stores Inc, acaba de anunciar a intenção de agregar algumas das funções de aprovisionamento de produtos até ao momento desempenhadas pelo Direct Sourcing Group, uma unidade do gigante Li & Fung.

A opção de adquirir uma maior quantidade de artigos diretamente dos produtores, sem recurso a intermediários, surge em consequência da diminuição das vendas e lucros da retalhista americana, numa tentativa de diminuir os custos inerentes à sua cadeia de aprovisionamento.

«Tomámos a decisão de transferir uma determinada quantidade de funções de aprovisionamento para a Wal-Mart e, como tal, iremos colaborar com o Direct Sourcing Group para assegurar uma transição suave nos próximos meses», explicou em comunicado a retalhista.

A Wal-Mart afirmou que irá continuar a cooperar com o Direct Sourcing Group no aprovisionamento de produtos para o clube de compras Sam’s Club, uma unidade do grupo Wal-Mart integrada no segmento grossita, que concorre diretamente com o Costco Wholesale Corp.

A retalhista opera 648 espaços comerciais do clube de compras Sam’s Club, correspondentes a 12% da rede de 5.200 lojas nos EUA, o seu maior mercado. Globalmente, a Wal-Mart opera 11.500 lojas.

A empresa americana anunciou a sua parceria com a Li & Fung em 2010, comunicando, nesse momento, que o grupo de Hong Kong iria constituir uma nova empresa direcionada para a gestão da sua conta.

No entanto, as circunstâncias dessa cooperação alteraram-se em setembro de 2012,quando a Wal-Mart recuou na intenção de adquirir todas as ações da unidade Direct Sourcing Group. No âmbito da alteração do acordo, a Li & Fung continuou a ser o principal fornecedor do Sam’s Club e agente de compras para a Wal-Mart nos EUA, atuando simultaneamente em determinadas categorias em alguns mercados internacionais.

A retalhista divulgou recentemente uma quebra de 8,3% do resultado operacional do grupo no primeiro trimestre, afetada pela valorização do dólar e pelos custos associados aos aumentos salariais e investimentos ao crescimento do segmento online.

Esta decisão marca o mais recente revés para a Li & Fung, que reportou uma diminuição de 18% do seu resultado operacional em 2014, apontando uma quebra das suas margens e maiores custos operacionais.

O recuo do grupo Wal-Mart deverá ter um impacto financeiro reduzido sobre a Li & Fung, mas «irá certamente instigar outras retalhistas importantes a repensar os seus acordos de aprovisionamento [com a Li & Fung]», acredita o analista da UBS, Spencer Leung.

A produtora de bolsas Kate Spade & Co, cuja atividade gerou um valor estimado de 300 milhões de dólares para a Li & Fung, revelou já ter alterado o acordo com a empresa chinesa, ocupando-se agora internamente do aprovisionamento de acessórios. A casa continuará a cooperar com a Li & Fung no fornecimento de vestuário e na realização de inspeções de qualidade.