Início Destaques

WestMister sem meias medidas

É uma marca de meias para o homem «sofisticado» do novo milénio e posiciona-se num segmento premium. Está em vários pontos do globo e, desta vez, a estratégia de internacionalização caminha rumo ao México.

Vanessa Marques e Luís Campos

Foi criada em 2016 por Luís Campos e Vanessa Marques, que têm já vários anos de experiência na área têxtil. Sob a forma da WestMister, tornaram palpável o conhecimento deste sector e deram vida à marca cujas principais características são «a irreverência e a qualidade».

Sediada em Vila Nova de Famalicão, a marca, que espelha a personalidade de quem a usa, é totalmente produzida em Portugal. «Queremos que se sinta, em todos os momentos do seu dia, um homem sofisticado, moderno, pronto para qualquer evento social ou profissional. O homem sofisticado do novo milénio que preza a imagem como espelho da sua personalidade, prima pela atenção ao pormenor. E por vezes, o pormenor faz a diferença», escreve a marca no seu website.

A qualidade e o cuidado desde a conceção ao fabrico do produto contribuem para que a WestMister se posicione num «segmento alto» que salvaguarda o «conforto» do consumidor com um «toque refrescante de ousadia». «A WestMister pretende distinguir-se no mercado por ser uma marca diferenciadora, aliando o design à qualidade, posicionando-se no segmento premium», explica Luís Campos ao Portugal Têxtil. Os tecidos, as cores e os padrões «elegantes e arrojados» são também aspetos que incorporam a identidade da WestMister, aponta.

Pequenos grandes passos

A marca de meias masculinas tem como objetivo promover as raízes nacionais do produto e conquistar os mercados mais exigentes a nível internacional. Deste modo, além de estar presente em vários países da Europa, no Canadá e nos EUA, a WestMister vai atravessar o Oceano Atlântico em direção ao México. Na próxima estação fria, a marca vai estar disponível no Liverpool, o maior grupo de department stores do país, que conta com vários espaços comerciais em diferentes estados.

«Achamos o mercado do México muito interessante devido ao seu forte crescimento nos últimos anos. Conseguimos chegar ao departamento de compras do grupo, que de imediato achou o nosso produto diferenciador e agendou uma reunião, com o intuito de conhecer os nossos artigos em mão. Através da minha deslocação aos seus escritórios na cidade do México, ficaram logo com a certeza que queriam ter o produto nas suas melhores lojas, já na próxima estação», conta Luís Campos.

A frase «com pequenos grandes passos, percorre-se um longo caminho» descreve a nova etapa da WestMister, que promete estar à altura do desafio. «Não temos dúvidas que nos iremos distinguir e corresponder à procura do cliente irreverente que não dispensa o design aliado à alta qualidade do produto», afirma.

No último ano e fruto do crescimento da marca no mercado foram estabelecidas várias pontes de contacto e potenciais parcerias e entradas para vários grupos de grandes armazéns. «2019 foi o nosso melhor ano desde o início do projeto, tendo conseguido um crescimento de vendas a rondar os 160% em grupos como o El Corte Inglés, em Portugal. Para 2020, as previsões eram muito positivas, contando já com agentes em Espanha, Itália e Bélgica. No entanto, com o abrandamento que se verificou a nível mundial no primeiro trimestre do ano, o cenário permanece uma incógnita», admite o empresário.

Subscrever novidades

Marques Soares, Panamar, El Corte Inglés e The Feeting Room são alguns dos muitos pontos de venda da marca, que se inspirou no novo coronavírus como mote de uma das mais recentes coleções, a #staypositive.

Além do México que vai agora juntar-se aos mais de 10 mercados internacionais da WestMister, o futuro reserva ainda mais novidades. «Brevemente iremos apresentar um novo website, totalmente reformulado, com mais informação sobre a marca, mais dinâmico e uma novidade que será o club WestMister, através do qual os fãs da marca poderão subscrever pacotes de 3/6/12 meses e receberão em casa, todos os meses, um pack de dois pares de meias selecionados por nós», adianta Luís Campos. «Estamos também, em conjunto com um parceiro nos EUA, a alocar parte do nosso website somente para esse pais, com o intuito de podermos ser mais rápidos na capacidade de resposta e criar um maior impacto nesse mercado», acrescenta.