Início Notícias Moda

Yoox Net-a-Porter oferece moda sustentável com apoio real

O príncipe Carlos associou-se à plataforma de comércio eletrónico para lançar uma coleção-cápsula de vestuário que combina o luxo com as melhores práticas ecológicas. A linha contempla tecidos de caxemira e lã, produzidos por uma empresa escocesa vertical com 223 anos, e seda orgânica italiana.

Príncipe Carlos e Federico Marchetti [©Yoox Net-A-Porter]

O herdeiro do trono britânico, desde cedo acérrimo defensor de políticas sustentáveis ambientalmente e muitas vezes promotor das mesmas, afirmou sentir-se «extremamente impressionado» com a coleção de 18 coordenados –10 para senhora e oito para homem – lançada sob o patrocínio da sua fundação, The Prince, em parceria com a Yoox Net-a-Porter.

Esta coleção é o culminar do projeto “The Modern Artisan”, desenvolvido pela fundação do Príncipe de Gales. No âmbito do projeto, seis estudantes italianos do Politecnico di Milano criaram peças de vestuário, fabricadas no Reino Unido

Unidos por seis diplomados em técnicas artesanais tradicionais na Escócia.

«A chave parece ser redescobrir a importância que a natureza desempenha em tudo isto e donde vêm os materiais naturais», explicou o príncipe Carlos, citado pela AFP. «É uma loucura ter uma abordagem de pegar, fazer e deitar fora», acrescentou, em referência à fast-fashion, efêmera e barata.

Na edição de dezembro da Vogue britânica, o filho mais velho da rainha Isabel reconheceu «ser uma daquelas pessoas que odeia deitar fora seja o que for» e preferir cuidar bem das suas roupas, «remendá-las caso seja necessário, em vez de abandoná-las».

No ano passado, o herdeiro do trono britânico doou urtigas da sua propriedade campestre, Highgrove House, à dupla de designers eco-éticos Vin + Omi, que as transformou em vestuário, apresentado na semana de moda de Londres em setembro de 2019.

[©Yoox Net-A-Porter]
Já a coleção-cápsula da Yoox Net-a-Porter foi beber inspiração na obra de Leonardo da Vinci, utilizando tecidos de caxemira e de lã produzidos pela Johnstons of Elgin, uma empresa escocesa vertical fundada em 1797, e seda orgânica proveniente de Itália.

Para o segmento feminino, a linha oferece, por exemplo, um cardigan côtelé castanho de caxemira que pode ser combinado com um vestido ou então com uma blusa de seda orgânica cor de ferrugem.

Todas as peças ostentam uma identidade digital que conta «a história do produto, dos seus materiais, dos artesãos que as desenharam e fabricaram, assim como recomendações de cuidados a ter para permitir aos clientes disfrutar destas peças durante anos», indica o website de venda de moda online em comunicado.

As receitas geradas pela coleção revertem a favor da fundação do príncipe Carlos e serão destinadas ao desenvolvimento de programas de formação para a preservação de técnicas tradicionais de produção têxtil.